terça-feira, 30 de junho de 2009

Mãe


Desenho de Emília Matos e Silva, Retrato de Fernanda Mattos e Silva (1978).
---
Não por acaso o teu ventre fecundo
me gerou. Amado fui desde o momento
zero a criança depois e assim sempre
serei. Por isso minha mãe fonte primeira
de águas calmas em manhã de Setembro
a minha voz na tua se confunde. O amor
do meu origem és: primeira a quem amei.
---
Poema de João Mattos e Silva (1987).

Sem comentários: