segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Família Mattos e Silva - breve genealogia de três gerações




A família Mattos e Silva provém do casamento, em 28 de Janeiro de 1893, na Igreja do Coração de Jesus, em Lisboa, de João da Cruz David e Silva e de Emília Adelaide de Oliveira Mattos.
João da Cruz David e Silva, comerciante, industrial e vereador substituto da C.M. de Lisboa, era natural de Pedrógão Pequeno, concelho da Sertã, vindo de uma antiga família de proprietários e pequena nobreza rural, sendo os David – que até ao século XVIII se grafava da Vide – descendentes de Guilherme Arnauth (ou Arnau) de “ Rivo”, Mordomo ou Vedor - Mor da rainha Dona Filipa de Lancaster, que acompanhou a Portugal, estando pelos casamentos ligados a famílias de relevo, como os Leitão, Andrade, Queiroz e Colaço e do lado materno da família Conceição e Silva, que descendia também de Guilherme Arnau e estava ligada pelos casamentos às famílias Azevedo, Camelo, Queiroz ,Freire e Pessoa.
Emília Adelaide de Oliveira Mattos,com o Curso Superior de Piano do Conservatório Nacional, pintora, descendia pelo lado paterno, ao que se dizia na família, de um “ particular” do Rei Dom Miguel I e do lado materno de um oficial do Exército liberal. Ambos foram perseguidos pela facção contrária pelas ideias políticas, no conturbado período da Guerra Civil.

1.João da Cruz David e Silva, filho de Francisco José Nunes David e Margarida Conceição e Silva, n. em Pedrógão Pequeno em 26/10/1863 e m. em Lisboa em 12/10/1942. C.c. Emília Adelaide Rodrigues de Oliveira Mattos, filha de Cândido José Luís de Mattos e Thomásia Rosalina Rodrigues de Oliveira, n. em Lisboa em 17/4/1872 e m. em Lisboa em 3/3/1935.

Tiveram

2.Ema Arnaldina de Mattos e Silva, pintora, n. em Lisboa em 4/8/1894 e m. em Linda-a-Velha em 27/5/1973, casada com seu primo Francisco David e Silva, de quem teve

3.Lídia de Matos David e Silva, n. em Lisboa e 9/4/1916 e m. em Linda-a-Velha em 3/7/2002, c.c. Álvaro Santos e Silva, s.g.
3.Vasco da Cruz David e Silva, n. em Lisboa em 9/5/1917 e m. em Lisboa 10/6/1990, c.c. Maria Victória Correia, c.g.
3.Rui David de Matos e Silva, pintor, n. em Lisboa em 13/7/1918 e m. em 25/5/1987, c.g
3.Fernando David e Silva, n. em Lisboa em 12/6/1920 e m. em Lisboa em 5/4/1995, c.c. Violete Costa Carvalho, c.g.
3.Maria Helena David e Silva, n. em Lisboa em 7/1/1924, c.c. Manuel Dias Chaves de Alemeida, c.g.
3.Rogério David e Silva, n. em Lisboa em 10/7/1927 e m. em Linda-a-Velha em 6/4/1999, s.g.

2.Alda Margarida de Mattos e Silva, pintora e contista, c.c. Lino Pinto Assalino Gonçalves Marinha, s.g.

2.Mário da Cruz de Mattos e Silva, cantor lírico, casado com Irene Correia da Veiga, s.g.

2.Fernanda Noémia de Mattos e Silva, pintora, escritora e cantora lírica, n. em Lisboa em 22/9/1905 e m. em Lisboa em 17/2/1996, casada com João de Almeida Júnior, de quem teve

3.João Fernando de Mattos e Silva de Almeida, poeta e publicista, n. em Lisboa em 11/9/1944, c.c. Maria Emília de Azevedo e Castro Pina Correia, c.g.

3.Maria Emília de Matos e Silva de Almeida, pintora, n. em Lisboa em 19/8/1947, c.c. José João Santana Campos Rodrigues, c.g.

2 comentários:

jamador disse...

Bom dia,

Encontro nesta página uma referência genealógica com os apelidos 'Santana Campos'.
Tenho feito uma investigação familiar que tem um ramo em Coimbra com o apelido Santana, alguns deles também Santana Campos.
Saber-me-á dizer se há ou pode haver alguma relação ?
Qualquer informação agradeço.

Cumprimentos
Jorge Rodrigues
rodrigues.amado@gmail.pt

Sérgio Cipriano disse...

Boa noite, procuro referências da vida do senhor João da Cruz David e Silva. O mesmo, foi o primeiro proprietário de um veículo (ainda hoje andar) e que se encontra nos bombeiros de Gouveia.

Peço por favor que me cedam um contacto mais direto para que efetivamente possamos conversar sobre o assunto.

O meu email é: scipriano@bombeiros.pt

Muito obrigado pela atenção.